Tag Archives: nutrição
  • Meu período de gestante já foi, mas vi esse artigo no site da minha nutricionista Dra Patricia Davidson Haiat e achei legal compartilhar com vocês, afinal está cheio de futuras mamães por aqui!!

    Um organismo equilibrado e bem nutrido é fundamental para a mulher que planeja engravidar, pois a gestação é o momento da programação metabólica de um novo ser. Muitas vezes a preocupação só gira em torno do ganho de peso da gestante, mas e a qualidade com o que se ganha o peso?

    nutri

    A mulher pode até apresentar um ganho adequado, porém com uma dieta pobre em nutrientes, que são extremamente importantes para o desenvolvimento adequado do bebê. Veja abaixo o que é fundamental para a saúde das mamães e das crianças:

    O ácido fólico (vitamina B9) presente na couve, brócolis, amêndoas, lentilhas, aveia, na carne e outros, é fundamental principalmente nas 12 primeiras semanas de gestação, pois a sua necessidade aumenta em função da rápida divisão celular. Por isso eles são fundamentais para o fechamento adequado do tubo neural do bebê.

    Já a vitamina D é a aliada para aumentar a imunidade materna, formação óssea do bebê e ajuda a reduzir a possibilidade de pré-eclampsia, resistência à insulina e diabetes gestacional, parto prematuro e raquitismo. Por isso é tão importante manter os níveis adequados ao longo de todo o período através de alimentação adequada, suplementação e exposição ao sol da manhã.

    O iodo também tem papel importante na maturação do sistema nervoso central durante o período gestacional, assim como na lactação. Ele é importante para o crescimento e desenvolvimento dos órgãos da criança. Alimentos como frutos do mar, algas, vagem e agrião são fontes bem ricas.

    O ômega 3, ácido graxo essencial não produzido pelo nosso organismo, também é de extrema importância na formação cerebral, tem papel importante no aprendizado, memória e elevação de QI. Auxilia ainda na prevenção de depressão após o parto.

    O zinco é um importante aliado da imunidade materna e atua no desenvolvimento cerebral do bebê.

    O magnésio ajuda a prevenir a pré-eclampsia e hipertensão gestacional e reduz o aparecimento de câimbras, já que ajuda no relaxamento muscular.

    A colina ajuda no desenvolvimento cerebral fetal e é reguladora da memória e atenção do bebê.

    Fonte: Dra Patricia Davidson
    http://www.patriciadavidson.com.br

  • Alimentos termogênicos são os que precisam de um maior gasto calórico na digestão se comparados à de outros. Por isso, eles promovem o aumento do metabolismo, da temperatura corporal, da disposição e do ânimo. Tudo o que é muito bem-vindo quando se trata de atividade física. Esses são os melhores alimentos para serem consumidos:

    metab

    Gengibre: ele é rico em gingerol, substância com capacidade de aumentar a temperatura corporal, acelerando o metabolismo e aumentando a queima de gordura. Este processo é chamado de termogênese, que é regulado pelo sistema nervoso e quando sofre interferências a seu favor como o consumo do gengibre, o emagrecimento é otimizado. Utilize-o em águas aromatizadas, sopas, doces e sucos.

    Pimenta Cayena: ela aumenta o ritmo cardíaco e melhora a circulação sanguínea graças à presença do seu principal composto ativo chamado capsaicina. Ajuda na perda de peso e na queima de gordura se o seu consumo for associado a uma alimentação saudável. Adicione na sua água aromatizada, sopas e no que mais você quiser, use a imaginação!

    Cafeína (café, chá verde e guaraná): a cafeína é uma substância vegetal da família das xantinas, um grupo de substâncias capazes de estimular o sistema nervoso, produzindo estado de alerta de curta duração. Seus efeitos variam de pessoa pra pessoa por serem metabolizadores lentos ou rápidos de caféina. Consuma com moderação e evite-os à noite para não colocar a sua noite de sono em risco!

    Canela: além de ser termogênica, é rica em antioxidantes e tem o poder de controlar os níveis sanguíneos de glicose. Salpique por cima de frutas, smothies e shakes.

    Lembrem-se de que os alimentos não fazem milagres sozinhos. Associe-os sempre a um plano alimentar individual e fique atento aos limites diários, que deve ser recomendado pelo seu nutricionista. Bom treino!

    Fonte: Dra Patricia Davidson Haiat | http://www.patriciadavidson.com.br/

  • Healthy kids!
    20/04/2016

    Como vocês sabem Maria Júlia chegou essa semana, mas nessa reta final antes dela chegar minhas preocupações e curiosidades ficaram cada vez maiores nesse assunto! Vi no site da Dra Patrícia Davidson essas informações sobre o que não incluir na alimentação de crianças até 2 anos e gostei!

    saudavel

    Muitos alimentos são contraindicados antes dos 2 de anos de idade devido à presença de contaminantes ou pela grande quantidade de açúcar, sal, conservantes, corantes, aditivos químicos, gorduras ruins e outros componentes.

    Como o organismo da criança ainda não é apto a receber estas substâncias, o risco de rejeições como alergia, diarréia, eczemas e agitação aumenta consideravelmente.

    O uso de sal e açúcar após os 2 anos deve ser equilibrado para reduzir o risco de doenças crônicas na vida adulta como obesidade, diabetes e hipertensão. Além disso, o paladar dos pequenos não deve se acostumar a alimentos industrializados pois assim a tendência de rejeição será aos alimentos naturais como frutas e verduras.

    Temos ainda os alimentos que são ofertados à crianças com a ilusão de serem saudáveis, mas não são:

    MEL: pode estar contaminado pela Clostridium Botolinum, que por sua vez pode causar o fechamento de glote e consequentemente um quadro de asfixia. Apesar de ser um caso raro, não indicamos o consumo pois o sistema imunológico ainda nao está preparado para combater a bactéria.

    Achocolatado: é um produto extremamente artificial no qual o chocolate passou longe! Ainda contém alto teor de açúcar e conservantes, o que pode viciar o paladar da criança em sabores muito doces e resultar em diabetes no futuro.

    Refrigerantes: são uma bomba de açúcar para a criança e podem causar lesão da mucosa gástrica devido à sua acidez, além de reduzir a absorção de nutrientes importantes para o crescimento e desenvolvimento.

    Gelatina: é rica em corantes, adoçantes, açúcar e conservantes. Podem causar alergia, excesso de peso e viciar o paladar em sabores muito doces.

    Embutidos (presunto, salsicha, linguiça): ricos em gorduras, glutamato monossódico, corantes, aditivos e substâncias químicas cancerígenas. Se são péssimos para qualquer pessoa, quem dirá aos pequenos!

    Salgadinhos/biscoitos recheados: bombas de sódio, corantes, gordura e açúcar. Opte por biscoitos simples, sem corantes, com a menor quantidade de ingredientes possível. Faça cookies caseiros! As crianças adoram e são muito mais naturais e saudáveis!

  • GOIABA

    A goiaba é uma excelente fonte de vitamina C e antioxidantes, que colaboram com o funcionamento adequado do sistema imunológico e por isso ajuda a combater infecções e alergias.

    Rica em licopeno, ainda tem propriedades antitumorais além de uma quantidade significativa de potássio, mineral importante no controle da pressão arterial.

    Cada 100 gramas de goiaba contém cerca de 69 calorias, por isso cabe em dietas de emagrecimento.

    Fonte: patriciadavidson.com.br

  • compulsão alimentar é gerada pela ansiedade e é um obstáculo comum para quem quer perder peso. Ela pode ser provocada pelo desequilíbrio de alguns neurotransmissores como a dopamina e a serotonina, responsáveis pela sensação de prazer, bem-estar e recompensa.

    Pesquisas mostram que quem sofre de compulsão alimentar apresenta atividades semelhantes nas mesmas regiões cerebrais que os dependentes do álcool e drogas, por isso a vontade de comer é incontrolável na maioria das vezes.

    O estresse pode intensificar o quadro, já que ele diminui a produção de dopamina e endorfinas. Por isso é importante fazer o possível para controlá-lo.

    Pessoas obesas têm ainda mais dificuldades para controlar a compulsão graças à resistência à ação da leptina, hormônio responsável pela saciedade, que compromete o mecanismo da recompensa, gerando a necessidade de mais e mais ingestão calórica.

    COMPULSAO

    Para evitar e controlar a compulsão, as dicas são:

    – Mantenha–se hidratado! A região cerebral que controla a sede é a mesma que controla a fome. Por isso, os sinais podem ser confundidos facilmente, gerando a vontade de comer quando um copo de água é a solução.

    – Evite o açúcar! Ele aumenta a liberação de dopamina, por isso gera a sensação de prazer e aumenta a liberação de grelina, responsável por estimular a ingestão alimentar, gerando o ciclo vicioso que a gente já conhece: quanto maior a ingestão de doces, maior será a vontade de comer mais doces.

    – Não pule refeições. Este hábito altera a glicemia e provoca mais compulsão na refeição seguinte.

    – A prática de atividades físicas melhora fatores relacionados à compulsão, pois reduz o estresse, auxilia a liberação de hormônios associados ao prazer e à sensação e bem estar e controla os níveis de glicose e insulina. Após 30 minutos de atividade física, ocorre a redução de grelina, que estimula o apetite, e aumenta os níveis de neuropeptídios, que aumenta a saciedade, e assim a vontade de comer diminui.

    – Cuide do seu intestino! O intestino atua na regulação de neurotransmissores e é o principal local de absorção de nutrientes, por isso precisa estar saudável!

    Invista em alimentos que ajudem a controlar a ansiedade!

    comp2

    • Grão de bico: rico em fibras, magnésio (atua como co-fator para a produção de serotonina), triptofano (fundamental para formação de serotonina) e vitaminas do complexo B;
    • Banana: fonte de triptofano e cromo (metabolismo da glicose);
    • Lentilha: fonte de fibras, triptofano e vitaminas do complexo B;
    • Castanha: fonte de triptofano, gorduras poli-insaturadas, que dão saciedade, e ótimas para associar a frutas, para controlar a absorção da glicose e a liberação da insulina;
    • Tâmara: fonte de cromo, envolvido no metabolismo da glicose, ótima para controlar a vontade por doces. Rica em vitamina B5, que proporciona efeitos tranquilizantes e relaxantes;
    • Abacate: fonte de gordura monoinsaturada, rico em magnésio e auxilia no controle do cortisol, o hormônio do estresse;
    • Chás: a L-teanina presente nas folhas de chá verde, apesar da cafeína contida nele, tem um efeito profundamente relaxante, com efeitos até oito horas.

    Por uma vida mais controlada para vivermos mais felizes com a saúde e com a aparência do nosso corpo!

    Fonte:
    Dra Patrícia Davidson Hayat