Tag Archives: nutrição
  • volei

    Além da rotina de treinamentos, a dieta equilibrada dos jogadores de vôlei é extremamente importante, já que o esporte requer força, flexibilidade e agilidade.

    De todos os nutrientes, o carboidrato é o que deve apresentar maior contribuição no valor calórico. A maioria dos estudos com atletas apresentam uma ingestão calórica subestimada. Esse aumento no consumo de carboidratos é fundamental principalmente para a reposição de glicogênio muscularregeneração das fibras musculares e retardo na fadiga. Sendo assim, é necessário um aporte ideal de carboidrato antes, durante e após o exercício.

    Com relação à proteína, sua necessidade é aumentada devido a uma maior demanda metabólica, sendo essencial um aporte adequado principalmente para a recuperação muscular.

    Outro fator importante é a hidratação dos atletas. Uma hidratação inadequada pode comprometer, de maneira considerável, o desempenho e causar sintomas como fadiganáuseas e boca secaSomente a ingestão de água não é o suficiente para a reposição de líquidos e eletrólitos (principalmente para repor sódio e potássio).Repositores à base de carboidratos são bastante indicados.

    Quanto aos micronutrientes, os minerais, que têm uma função mais importante no desenvolvimento da atividade, são: magnésio, ferro, zinco, sódio, potássio e cálcio.

    Portanto, se o vôlei faz parte da sua rotina, seja como profissão ou como diversão, não deixe de dar a devida atenção à alimentação para garantir um bom desempenho no esporte, para que assim seu corpo possa reagir de forma positiva a todo o esforço desprendido.

  • Sentir a imunidade cair nos dias mais frios é sinal de que a sua alimentação não está sendo feita da maneira correta. Entenda como você pode se prevenir de gripes e resfriados com o que coloca pra dentro:

    Quantas pessoas você conhece que pegaram um resfriado ou uma gripe nos últimos dias? Com certeza não foram poucas. Isso porque tendemos a reduzir a densidade nutritiva da alimentação por dar preferência a alimentos mais calóricos e com menos vitaminas e minerais. Frutas e verduras saem de cena e consequência é a queda de imunidade.

    Para que possam entender melhor, tudo começa no sistema imunológico, que tem a função de manter a integridade do corpo, defendendo-o de agentes que podem causar doenças. As células do sistema imunológico ficam espalhadas por todo o nosso organismo: sangue, órgãos linfoides e intestino. Uma nutrição adequada é fundamental para o funcionamento pleno desse sistema, promovendo uma comunicação harmoniosa entre as células.

    E fortalecer o sistema imunológico mesmo em dias mais frios não é difícil. Alguns alimentos contribuem com nutrientes e compostos ativos que turbinam a imunidade e agem contra diversas doenças:

    ALIMENTOS

    – Repolho: fonte de glutationa, um poderoso antioxidante que melhora a função das células imunes. Pode ser acrescentado em sopas e em omeletes, por exemplo.

    – Alho: tem função imunoprotetora, além de fornecer selênio e zinco, nutrientes importantes para evitar gripes, resfriados e outras doenças. Acrescente em sopas e purê de legumes. Em azeites aromatizados fica sensacional!

    – Amêndoas: ricas em vitamina E e vitaminas do complexo B, ajuda a proteger o sistema imune da oxidação, principalmente em situações de estresse. Podem ser consumidas como leite puro ou em preparações cremosas como chocolate quente e purês, além de ser uma alternativa super prática de lanche intermediário.

    – Batata doce: rica em betacaroteno, precursor de vitamina A, é um nutriente fundamental para o sistema imunológico. Pode ser usada no lugar do pão no café da manhã, cozida, ou em purê e sopas. Em forma de chips, quando cortada bem fininha e levada ao forno com ervas, fica uma delícia e vira um snack delicioso!

    – Shitake: rico em vitaminas do complexo B que ajudam na proteção do corpo, também oferece efeitos antivirais e antibacterianos, dando um super reforço à imunidade. Pode ser consumido dentro de uma omelete, como acompanhamento de torradas e em sopas.

    – Orégano: ótimo contra intoxicações alimentares, contém carvacrol, que ativa as defesas do corpo. Para garantir os seus benefícios, deixe para salpicá-lo só depois do pronto já pronto.

    – Erva Dente de Leão: aumenta a resposta imune e a produção de óxido nítrico, melhorando a oxigenação dos tecidos. Utilize na forma de chá, com 1 colher chá para 1 xícara de água aquecida.

    – Frutas cítricas: fontes de vitamina C, são responsáveis pela cicatrização de feridas, fraturas e contusões, e atua no processo inflamatório e na integridade das mucosas. Consuma em forma de sucos ou frutas in natura.

    E quem terminou de ler e já quer se prevenir, essa sopa da imunidade é uma ótima forma de começar!

    SOPA

    Ingredientes:

    • 1 xíc. de brócolis
    • 1 xíc. de couve flor
    • Suco de 1 limão
    • 1 col. chá de açafrão da terra
    • 1 dente de alho
    • 100g de shitake
    • Pimenta-do-reino a gosto
    • Ervas aromáticas a gosto (salsa, cebolinha, manjericão, orégano)
    • Sal rosa a gosto
    • 1 litro de água
    • 2 colheres de sopa de semente de linhaça

    Coloque a água e o alho em uma panela, ferva a água e adicione o brócolis e a couve flor. Cozinhe até amolecer as flores e bata tudo no liquidificador até ficar como um creme. Refogue o shitake no azeite e misture ao creme. Depois de pronto, acrescente a pimenta-do-reino, sal rosa, limão, ervas e a semente de linhaça. Tempere com um fio de azeite e pronto! Esta é uma ótima escolha tanto para o almoço, quanto para o jantar.

    Fonte: patriciadavidson.com.br

  • Com 4 ingredientes e 2 minutinhos, você fa uma bruschetta super fit!

    FAROFA

    OQ? Abobrinha crua + queijo cottage light + castanha do Pará picada + azeite extravirgem > As quantidades dos ingredientes serão proporcionais ao tamanho da aobrobrinha e também quantas bruschettas decidir fazer.

    COMO? Corte a abobrinha em rodelas de aproximada 2 cm > Coloque o queijo cottage no “pão de abobrinha” > salpique as castanhas > sirva com um fio de azeite extravirgem.

    Até os 30 anos, Gabi Castejon nunca tinha refogado arroz e nem tinha panela em casa, acredita? Pois é, em 2014 ela resolveu reduzir seu percentual de gordura e, por conta desta meta, ‘teve’ que começar a cozinhar. No começo, a Gabi achou a ideia de ir para a cozinha bastante sem sal, mas foi só começar para descobrir uma doce (e fit) paixão! Daí comprou panelas e uma passagem para Nova Iorque, onde se formou no Natural Gourmet Institute.

    Hoje, ela compartilha no FarofaFit (instagram/snapchat/facebook/youtube – @farofafit) as suas descobertas e receitas fit, tudo sempre nhaamm, saudável e com uma pitada de praticidade!

  • Determinadas pessoas têm mesmo uma propensão genética a tê-las, mas é possível reverter a situação com bons hábitos alimentares e uma rotina de exercícios minimamente regrada.

    Elas aparecem por conta de uma alteração no tecido gorduroso da pele, provocada por toxinas que não são devidamente eliminadas e acabam acumuladas na corrente sanguínea. Estas toxinas são provenientes de má alimentação e exposição tóxica excessiva (uso de plásticos, papel alumínio, alimentos muito contaminados com agrotóxicos, poluição…), que somadas a problemas circulatórios, fazem com que o sangue não circule adequadamente, afetando o tecido subcutâneo e então o corpo entende que está num processo inflamatório!

    Evidências científicas sugerem que alguns componentes da dieta causem estresse oxidativo, ou seja, formação excessiva de radicais livre, desencadeando consequentemente num processo inflamatório crônico de baixa intensidade.  A ingestão de glicose tem sido associada ao aumento da síntese de compostos que inflamam as células, por isso o consumo excessivo de doces pode piorar consideravelmente o aspecto da celulite.

    CELU

    O que podemos fazer para melhorar?

    Passo 1: faça musculação! O exercicio físico com carga estimula a mobilização da gordura corporal, melhora a flacidez que piora o aspecto da celulite e promove maior sensibilidade à insulina, ou seja, melhora o aproveitamento desse hormônio pelo corpo, que quando liberado em excesso promove maior acúmulo de gordura

    Passo 2: inclua alimentos de ação anti-inflamatória em sua rotina, como: Cúrcuma, que melhora a circulação; Gengibre, que tem ação termogênica, auxiliando na redução da gordura e reduzindo a retenção hídrica; Aveia, rica em silício, melhora a formação de colágeno e melhora a estrutura da pele, amenizando o aspecto da celulite; Própolis, que é um poderoso antioxidante; Pimenta, que tem ação termogênica e age diretamente na circulação.

    Também inclua chás na alimentação

    Centella asiática: melhora a circulação.
    Cavalinha: tem efeito diurético e promove elasticidade dos tecidos
    Dente de leão: reduz a retenção de líquidos.
    Bardana: diurético, propriedades anti-inflamatórias e ajuda no rejuvenescimento da pele.

    Passo 3: tenha um intestino saudável

    Ele é um dos órgãos responsáveis pela eliminação de toxinas, que quando acumuladas pioram o aspecto da pele e das celulites, por isso é preciso que funcione bem diariamente. Consuma fibras e beba bastante água.

    Passo 4: Evite o sal

    Ele aumenta a retenção hídrica e inflama o corpo quando consumido em excesso por alterar o pH sanguíneo.

    Passo 5: Beba água

    Grande parte das toxinas é expulsa do nosso organismo por meio da urina, fezes e suor. Se não houver hidratação suficiente, esses processos ficam comprometidos. A água também proporciona a melhora da circulação sanguínea e acaba prevenindo o aparecimento de celulite.

    dica da minha Nutricionista, Dra Patricia Davidson
    patriciadavidson.com.br

  • Uma das queixas mais comuns é a falta de energia e o cansaço em excesso, que pode ser causado por inúmeras razões como a falta ou o excesso de nutrientes, excesso de metais no organismo, etc.

    Para solucionar quadros como este e outros, faço um rastreamento de saúde e então é possível tratar a raiz do problema com tratamentos específicos aliados à uma alimentação individual, de forma que ela colabore com a estratégia escolhida para tratar.

    CAQUI

    O caqui, por exemplo, é rico em vitaminas com complexo B, fundamentais na geração de energia pelo corpo, ajudando a combater a sensação de cansaço. Ele ainda é rico em betacaroteno, que é o precursor da vitamina A, importante na proteção do sistema imunológico e da saúde dos olhos. Também é fonte de licopeno, antioxidante famoso por prevenir alguns tipos de câncer e tem grande quantidade de fibras, que ajudam na melhora da função intestinal.

    E estamos na época de safra do Caqui, então é a hora de consumi-lo em sucos ou como lanche, mas sempre com a devida instrução de um nutricionista. 😉
    Dica da Dra Patrícia Davidson Haiat
    http://patriciadavidson.com.br/