Gravidez
  • Na gravidez, o corpo feminino passa por grandes mudanças hormonais e metabólicas, que repercutem bastante na pele e nos cabelos. É um período delicado, principalmente durante o primeiro trimestre, quando a grávida fica vulnerável ao aparecimento de manchas, estrias, acne, celulite, varizes e ao aumento da quantidade de pelo. Toda grávida merece ter a melhor aparência possível, mas sem por em risco a saúde do bebê.  Costumo recomendar o uso de poucos produtos, porque é mais seguro.

    O cosmético realmente essencial para a gravidez  é o filtro solar! (De preferência sem nanopartículas, para não correr risco algum de absorção pela circulação sistêmica). Os estudos sao controversos e na dúvida, melhor não arriscar. O uso de filtro solar previne e controla o melasma, mancha muito comum na gestação, que surge no centro da face, nas bochechas, no queixo, na testa ou acima do lábio superior devido a alterações hormonais.

    GISE

    Recomendo às grávidas que não se automediquem, comprando cremes clareadores sem a orientação de um dermatologista. Produtos com hidroquinona (ativo clareado muito usado para tratar manchas) são contra-indicados. A grávida deve usar hidratantes no corpo todo para evitar a que a distensão da pele cause as terríveis estrias. É importante, porém, evitar os que tem ureia na fórmula, pois estudos não comprovam a sua segurança. Prefira o velho óleo de amêndoas ou produtos a base de manteiga de cacau ou manteiga de Karité.

    As espinhas podem aparecer ou piorar na gravidez. Para tratá-las, a niacinamida é o único produto tópico que prescrevo. Pode parecer bobagem, mas, com gestantes, sou muito conservadora e prefiro recomendar substâncias comprovadamente isentas de risco.

    Quanto a drogas comumente usadas para tratar acne (ácido salicílico tópico, peróxido de benzoílo ou eritromicina), estudos indicam que não acarretam riscos para o bebê. Mas como esses testes, obviamente, não foram feitos com gestantes – os resultados não puderam demonstrar a associação com o risco de má formação fetal – e prefiro não os recomendar.

    ácido retinoico, esse sim, é totalmente contra-indicado na gestação com base em estudos que mostraram alto risco de  má formação. Toxina botulínica, preenchimentos e peeling químicos também são proibidos pra grávidas. O mesmo acontece com a radiofrequência, muito usada contra celulite e flacidez. Essa tecnologia gera um grande aquecimento nas áreas tratadas, causando dilatação dos vasos, podendo levar a alterações na circulação sangüínea. Acredito que a maternidade também não e o melhor momento para esse tipo de preocupação.

    Quanto aos lasers, a maioria é segura, pois a penetração alcançada pelos equipamentos se restringe a epiderme e derme. Não há problema em fazer sessões de luz intensa pulsada ou laser de diodo para depilação, com exceção do abdômem. Já a drenagem linfática, feita por um bom profissional, alivia muito a retenção de líquidos e o inchaço.

    Durante a gestação, algumas mulheres experimentam um período de verdadeiro esplendor em seus cabelos. Para outras é uma fase terrível, com fios ressecados e quebradiços. A grávida precisa de muita cautela em relação a tinturas, alisamentos e luzes. Por precaução, nada disso deve ser feito no primeiro trimestre. Estudos evidenciam maior risco de tumores cerebrais no feto de grávidas expostas a essas substâncias.

    Após o nascimento, boa parte dos procedimentos pode ser retomada. Com exceção do uso do ácido retinoico tópico, que poderá irritar a delicada pele do bebe devido ao contato físico com a mãe.

    Dicas para o seu bebê:  a criança deve usar fotoprotetores com FPS superior a 15 a partir do sexto mês de vida. O ideal eh que o produto confira proteção contra os raios UVA E UVB. Opte por filtros físicos, que formam uma barreira a radiação solar. Procure no rótulo os ativos dióxido de titânio e óxido de zinco. Antes dos seis meses melhor usar outros tipos de fotoproteção. Um boné ou chapeuzinho e a cobertura do carrinho ou a sombra das árvores asseguram uma barreira a radiação. Sem falar no horário. Os banhos de sol devem ser muito cedo ou no final da tarde.

     

    Graça Silveira dermatologia

  • Muitas pessoas têm me perguntado quais alimentos eu restringi na minha alimentação durante a gravidez. Aproveitei a ajuda da Clinica da Dra Patrícia Davidson para compor o post:
    grav
    A Dra Bruna Albuquerque, que atende gestantes e crianças na clínica, sempre ressalta em seus atendimentos o quanto os estados nutricionais pré-gestacional e gestacional influenciam nas condições perinatais do bebê. Por isso é tão importante eliminar determinados alimentos do plano alimentar.

    1. Embutidos: contém alto teor de sódio, nitritos, nitratos, corantes e aditivos químicos, ou seja: rico em substâncias prejudiciais à saúde;

    2. Canela: pode causar contrações uterinas e não existe uma quantidade segura para o seu consumo, por isso a eliminamos do cardápio;

    3. Chás: o consumo de chás não é indicado, pois alguns deles podem estimular as contrações;

    4. Alimentos ricos em açúcar: o consumo exagerado de doces/açúcar pode aumentar o risco de a mulher desenvolver diabetes gestacional, além do ganho de peso excessivo, que é altamente prejudicial à saúde do bebê;

    5. Bebida alcoólica: o álcool atravessa a placenta e pode ser prejudicial para o desenvolvimento do bebê, podendo causar má formação fetal;

    6. Adoçantes: tipos como o ciclamato de sódio podem atravessar a placenta e causar danos genéticos ao bebê.

    Por uma gestão mais tranquila e crianças mais saudáveis desde sempre!

    Quem está comigo nessa?

  • Continuando o post anterior, se o médico liberou exercícios físicos na sua gravidez, saiba que tem muitos outros benefícios, como:

    exercicios

    – “Quando a mulher pratica exercícios, o organismo libera hormônios relacionados ao prazer e tudo que a mãe recebe, o bebê recebe também. Ou seja, o feto é igualmente inundado por uma sensação de bem estar e alegria durante as atividades bem orientadas”

    – “A sudorese (suor) e a serotonina (hormônio do prazer) ajudam a regular o funcionamento de todo organismo, inclusive do sistema linfático. Isso quer dizer que o inchaço das pernas e dos pés diminui porque o corpo vai eliminar os excesso pela urina e pelo suor”

    exercicios3

    – “Exercícios físicos aumentam a oxigenação do organismo e, como consequência, do feto. Com isso, o sistema imunológico do bebê se desenvolve mais e melhor”

    exercicios2

    – “Mães que fazem atividades físicas durante toda a gravidez diminuem o risco de hipertensão, insônia, obesidade, diabetes gestacional e parto prematuro. Estudos indicam também uma redução no tempo de trabalho de parto e menos intervenções obstétricas em mulheres gestantes que adotaram um estilo de vida ativo.”

    – “Pesquisas constataram que mulheres gestantes ativas tem sua autoestima 11% mais elevada do que mulheres gestantes que não são praticantes de atividades físicas. E mães felizes com o espelho também geram crianças com boa autoestima.”

     

  • Treino funcional!
    24/11/2015

    Depois de liberada pelo médico, fiquei animada em saber dos vários benefícios de praticar exercícios físicos durante a gravidez:
    – Menor ganho de peso
    – Diminuição do risco de aparecimento do diabetes gestacional
    – regulação da frequência cardíaca e da pressão arterial
    – melhora da autoimagem da futura mamãe
    – redução da ansiedade e da depressão pós-parto
    – melhor preparação para as sobrecargas articulares deste período!

    Hoje foi dia de treino funcional, e de look @heringforyou

    #momentosforyou

     

    FullSizeRender

  • Tenho recebido muitas perguntas em relação à pratica de exercícios físicos na gravidez.
    Mas amos por partes…Primeiro de tudo, é importante ressaltar que quem libera a gestante para a prática de atividades físicas é o médico! A partir dessa indicação, todas devem ser incentivadas ao exercício orientado.

    GRAVIDEZ-EXERCICIOS

    Segundo a médica pediatra Luciana Herrero, autora do livro “O diário de bordo da família grávida”, dentre os vários benefícios de praticar exercícios físicos durante a gravidez podemos destacar:

    – Menor ganho de peso
    – Diminuição do risco de aparecimento do diabetes gestacional
    – Regulação da frequência cardíaca e da pressão arterial
    – Melhora da autoimagem da futura mamãe
    – Redução da ansiedade e da depressão pós-parto
    – Melhor preparação para as sobrecargas articulares deste período

    Pois bem, meu ginecologista obstetra recomendou a partir do momento que descobri que estava grávida até a 12a semana, que eu fizesse apenas caminhadas, o que segui rigorosamente.

    Admito que senti muita falta de correr e mais ainda de pedalar, mais pela sensação de bem estar que me gera, ainda mais estando na Itália (onde passei uma temporada no mês passado) que tem umas rotas de ciclismo incrivelmente lindas, mas segui suas recomendações e fiquei quieta. Somente depois da 12a. semana foi quando comecei, devagar, a voltar a fazer atividades como trote na areia e transport.

    Ainda segundo a Dra Luciana, os exercícios recomendados nesta fase são: caminhada, yoga, pilates, musculação, natação e hidroginástica (sempre acompanhados por profissional capacitado). Os exercícios não recomendados são: hipismo, esportes com bola e esportes competitivos que utilizam contato físico com outros participantes.

    “Até o início do século XX, a prática de exercícios físicos durante a gestação era desencorajada. Essa indicação começou a mudar entre 1970 e 1985, quando foram  realizados estudos que não encontraram evidências de prejuízo para a saúde ou qualquer interferência negativa sobre o desenvolvimento do bebê.”

    Hoje recomenda-se que gestantes de baixo risco se exercitem 30 minutos ao dia, de 4 a 5 vezes por semana. O ideal é que sejam atividades de intensidade leve e moderada, ou seja, aquelas que permitam conversar enquanto são realizadas, sem que você fique ofegante.

    Desde que fui liberada pelo médico tenho alternado os treinos. Ex: 1 dia de transport, 1 dia de caminhada, 1 dia trote e caminhada na areia fofa, que faço mais ou menos assim: 1 minuto mais acelerado intercalando com 2 min andando na areia fofa, sempre medindo minha frequência para não ultrapassar o limite de batimentos imposto por ele.

    Ainda quero introduzir aulas de natação na minha rotina, mas confesso que ainda não me organizei quando a isso. Sei que tem gente que não muda os treinos na gravidez, ou por serem atletas ou outros motivos, maassss, não é meu caso. Diminuí bastante o ritmo de treino – não pedalo na rua por conta do risco de queda, por exemplo. Também não corro no asfalto sem o professor junto – mas, como disse outro dia no Instagram, no momento minha propriedade total é estar saudável para a Maria Júlia crescer saudável.

    Vale lembrar que agora mais do que nunca é muito importante seguirmos todas as recomendações médicas, de acordo com cada um.
    Um beijo especial nas mamães e futuras mamães 💙